quinta-feira, 15 de Março de 2007

Sal, gordura e açúcar a mais!

Associações de consumidores de quatro países – Portugal, Espanha, Itália e Bélgica – compararam um conjunto de 92 produtos de marcas comuns: cereais de pequeno-almoço, iogurtes, gelados, chocolates, aperitivos à base de batata, pratos preparados e menus da cadeia McDonald's. Além do peso, analisaram a composição nutricional, nomeadamente a quantidade de gorduras, de açúcar e de sal.
Segundo diz Sofia Mendonça, responsável pelo trabalho em Portugal, verificaram que "em Portugal, os produtos têm mais sal que nos outros países, mesmo em artigos como gelados, cereais e chocolates [mais 15%]. Também têm mais gordura e açúcar. A desculpa da indústria é que os consumidores exigem os alimentos mais condimentados, mas o estudo demonstra que aceitam ementas mais favoráveis do ponto de vista nutritivo".
Por exemplo, em Portugal os hambúrgueres têm mais 20 a 30% de gordura e mais 30% de sal do que os seus congéneres dos outros países. Os mesmos cereais de pequeno-almoço apresentam, entre nós, quase o dobro do sal do que os vendidos na Bélgica e o mesmo chocolate tem mais 60% de açúcar do que o que se come em Espanha.
Quer isto dizer que "o mercado português vende produtos menos saudáveis"!

1 comentário:

Fernando Carvalho disse...

Não acredito que um português de boa cepa acredite que toucinho, bacalhau, carne de sol (de charque, seca), figo alemão ou sardinha alice faça mal por causa do "excesso de sal", ou "excesso de gordura" (caso das gorduras mencionadas). Sal e gordura são alimentos que fazem parte naturalmente da mesa da humanidade há milhões de anos (caso da gordura) ou a dezenas de milhares de anos (caso do sal).
A dieta do homem contemporâneo é patogênica por causa do açúcar. Mas esse fato tem que ser ocultado. Daí que os traficantes de açúcar não permitem que a OMS faça com o açúcar o mesmo que faz com o tabaco (uma campanha cerrada contra). O "lobby" da indústria de alimentos apenas permite que o vilão seja apresentado ao lado do sal e da gordura. É como se fosse mostrado num cartaz de bandidos procurados um marginal ao lado de dois cidadãos honestos. Conto essa história no meu "O livro negro do açúcar" (tem PDF gratis na internet e livro em www.docelimao.com.br)
Abraços